contador de visitas
Selecione o Idioma

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

A DAMA DO ENCANTADO

                                                       

É ela!! Estou de volta com uma das personagens que mais me instiga. Aracy de Almeida!
Sei que grande maioria desconhece a importância dessa intérprete no cenário musical brasileiro. Aracy sempre foi, para mim, uma mulher de personalidade forte, humor fugaz e uma inteligência singular.
Passei horas hoje rearrumando aquilo que já existia, rascunhado o que falta, reescrevendo textos, relendo o "belo Hermínio" e me travestindo espiritualmente dessa mulher.
"O Bloco Vista Cansada" fará, em breve, duas apresentações no Teatro de Bolso com um show lítero-musical em homenagem a essa destemida senhora.
Sambista carioca de grande projeção na década de 30, um expoente da música popular brasileira. Intérprete das antológicas composições de Noel Rosa, que nela se inspirou ao criar 'Seu Sorriso de Criança' em 1933. Seu amigo pessoal, ele reconhecia na cantora uma perfeita representante de sua obra, tendo sido ela a primeira a gravar 'O X do Problema' e 'Palpite Infeliz', em 1936. Seguiram-se 'Tenha Pena de Mim' em 1938, 'Miau...Miau' e 'Caramurú' em 1939, 'Passarinho do Relógio' em 1940 e 'Passo do Canguru' em 1941. Com uma voz fraca, adequada ao tom intimista de seus sambas, mas que nada tinha a ver com a moda da época, onde brilhavam os cantores de voz potente, Aracy se tornou porta-voz oficial da poesia de Noel nos discos e nos palcos. Combinando emoção e brejeirice, suas interpretações do compositor foram insuperáveis.

Para ela, Ary Barroso fez 'Camisa Amarela'. Aracy Teles de Almeida gravou seu último disco em 1965, de um total de 400 gravações. Nasceu no subúrbio de Encantado, filha de um pastor protestante que era chefe de trens na Central do Brasil, e começou a cantar na Igreja Batista do Méier. Estreou no rádio em 1932, na PRC8. Depois dos primeiros elogios, passou para o programa Francisco Alves, convidada pelo popular cantor. Esteve nas rádios Ipanema, Cruzeiro e na Mayrink Veiga. Em 1935, era fundada a Transmissora e Aracy ingressava em seu elenco. Já então, deixando a Colúmbia, passou a gravar na RCA Victor. Fez sua primeira excursão ao sul do país nessa época, voltando para a Mayrink. Considerada a representante natural do samba, conheceu Noel em 1933 e se tornaram grandes amigos. A partir da década de 70, não mais em evidência e vendo que a MPB tomava outros caminhos, apesar da notável carreira musical que trilhou, abandonou a profissão de cantora e passou a integrar a equipe de jurados do programa Silvio Santos. Usava uma gíria curiosa e essa tornou-se sua principal característica.

Vivia com seus cachorros num casarão no Encantado, o mesmo bairro onde nascera. Trechos de sua entrevista concedida à revista Realidade, de outubro de 1968: 'Uma vez, o Kid Pepe me encostou uma faca deste tamanho na barriga, querendo me obrigar a gravar uma batucada de autoria dele, chamada "O que Tem, Iaiá". E eu gravei, compadre, com a faca na barriga e tudo... O Mario fica doido de raiva quando eu digo, mas a idéia da "Amélia" fui eu quem deu. Um dia, sugeri uma frase, "Amélia é que era mulher de verdade", ao Wilson Batista. Ele disse que andava sem tempo para compor e então o Ataulfo, que estava perto, pediu a frase para o Mario, e o samba foi feito. Tem mais. Dou até o local onde aconteceu: na Leiteria Nevada, ali na rua Bittencourt da Silva. Na esquina ficava o café Nice... Veja. Eu moro lá longe, tenho as minhas cachorrinhas de estimação e não preciso me aborrecer pra trabalhar. Já enjoei de cantar e tem mais: o ambiente não ajuda, e no momento o mingau anda grosso demais... A Marília Batista é uma boa intérprete, meu filho. Mas claro. O que tem o seguinte: quem é que sabe, hoje em dia, onde está Marilia Batista?... Solteira, sim. até hoje. Acho esse babado de casamento uma onda bastante enrolada. No começo, são flores e mais flores. Depois, pedras e espinhos. É a rotina, não é, filhinho? Todo o dia a mesma toalha, o mesmo sabonete. É fogo. Além do que, esse assunto é maçante. Vamos deixar para o próximo número'. Aracy morreu aos 73 anos, em 22 de junho de 1988. 
Com causos, harmonia e cantoria faremos a nossa apresentação.
Agradeço ,desde já, ao Conselho Municipal de Cultura por nos confiar essa ousadia.
Simbora cantar!

                     

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

MÃE CUJOS FILHOS SÃO PEIXES

Ventarolas nas mãos
A mãe d'água salva seus filhos
Beleza rara
Sentimentais intenções
Yemanjá nos abençoa nesse dia
O mar
O amar
Elementos tão pontuais nas suas aparições
Dois de fevereiro é dia de Janaína
A menina dos olhos de Olokum
A guardiã das águas
A Nossa Senhora dos Navegantes
Aquela que guardou em suas saias os raios de sol
Salvando a terra da escuridão
Ventarolas nas mãos
Protegendo os mortais
Odó Iyá!!
Ilumine nossos dias
Proteja as águas do mar
Tenha misericórdia dos filhos teus
Minha sereia!!
Flores brancas, água-marinha
Salve , Salve!!
Minha rainha!!

SEJA LÁ QUEM TE MANDOU...MINHA ALMA TE RECEBEU

                                                 

Ele nem sabe
Mas se fez eterno.
Destrancou portas nunca abertas em mim.
Escandalizou meus sinais.
Nem disse a que veio,
Ficou.
Está.
Na ausência, está.
Deixou seu cheiro,
Perpetuou a sua respiração,
Não teceu promessas,
Não estabeleceu regras.
Some
Não me assume em rótulos,
Mas também não me deixa solta.
Sou um cão
Quando encantada
Me rendo ao outro
Sem dúvidas.
Guardo os medos pra depois.
Por agora...
Seu jeito indecifrável
Me acalma.
Por hoje sua chegada
Me sacia.
Mas, moço, não sou tão menina
A mulher que habita em mim
Precisa de verso
Com ou sem rima
Então...pode entrar em meus espaços
mas não os deixe sem recados
Não faça de conta que tá tudo acertado
Faço um trato com o tempo
Danço carnaval no meu quarto
Pra na segunda-feira
você me pegar de quatro.
Sou tua,
Você é meu.
Tá combinado.
O peso de teu corpo me acalma
Então....pode descansar
Te espero pro próximo debate
Te encontro com uma lua no céu
de fim de tarde
Te prometo não prometer nada
Além daquilo que você se permite
Me dar
Pode voltar e fazer ceder a minha febre
Pode me acostumar ao seu peito
Ao seu jeito
Com você fico à vontade
Dobro joelhos
pra no depois você descansar no
meu corpo-leito.
Com você perco o sono
Fico doida
Diálogo comigo
Exercito o melhor de mim
Mas sou mulher
Não se esqueça
Não quero ser seu porto, apenas.
Quero ser seu albergue da juventude
Sua mais nova aventura.
Continue se vestindo com descaso
mantenha comigo esse caso
Ninguém sabe de nós
Além de nós
Esse segredo é nosso.
Mantenha essa delicadeza e esse domínio
Seja meu amante , nunca meu filho, jamais meu pai
Fale no meu ouvido aquelas bobagens roucas...
Experimente, por um tempo, se permitir
E me enamorar.
Saiba..o que me prende é o seu mistério
A paz que me oferece
O tormento que me provoca
Seja o que você é
Serei o que sou
Você nem sabe das portas que abriu
Das janelas que me deixou
Você nem sabe, mas te conto, em braile,
No seu corpo cada coisa que em mim
Você despertou.

Beijo meu!



Hora certa:

Faça parte da familia: